O que será de 2021?



Em 2020, testemunhamos mais de 70 milhões de casos de COVID e superamos 1,5 milhões de mortes no mundo. Absolutamente todo mundo conhece alguém que morreu ou quase morreu em 15 dias! O impacto econômico foi avassalador. As diferenças sociais (e regionais) se intensificaram, e sequer computamos os impactos de uma educação a distância tão desigual (e em alguns casos inexistente). 2020 foi um ano duro.

 

    "uma hora a vacina chega"

 

Entramos em 2021 com a esperança da vacina. Vai demorar mais do que gostaríamos, é verdade. Mas encontro conforto em preservar aqueles profissionais médicos que lutam essa guerra por nós, e tranquilidade em imunizar aqueles acima de 75 anos mais vulneráveis. A minha vez vai chegar, e a sua também...

 

    "melhor balanço na relação trabalho-família"

 

Entramos em 2021 com um núcleo familiar mais unido. Fomos todos obrigados a conviver mais e com mais intensidade. Para muitos, foi um desafio, mas para a maioria o saldo está sendo positivo. As relações familiares mudaram permanentemente, e com um pouco mais de equilíbrio, será um benefício inegável dessa experiência.

 

    "trabalhar remotamente deixou o mundo menor"

 

Entramos em 2021 trabalhando de uma forma diferente. Aprendemos a fazer reuniões remotas, alinhar ações e estratégias por mensagem de grupo e incorporamos novas ferramentas de trabalho. Aprendemos a ensinar remotamente (e alguns tiveram a oportunidade de aprender remotamente). Este know-how adquirido vai mudar nossas relações profissionais para sempre, e deixou o Brasil e o mundo menor. Na SPA, temos muito orgulho de ter um time espalhado pelo Brasil inteiro.

 

    "aceleramos a inevitável transformação das relações de consumo"

 

Entramos em 2021 sabendo comercializar (e consumir) de forma mais eficiente. A tão falada transformação digital acelerou no mundo - não há mais espaço para "puxadinhos" e remendos digitais.  Nossa logística evoluiu muito em um ano. O PIX já representa 80% das transferências bancárias no Brasil, e logo estaremos implementando o "open banking".

 

    "nossas empresas estão amadurecendo muito rápido"

 

Entramos em 2021 com um mercado corporativo mais maduro. A Lei Geral de Proteção de Dados saiu do papel. Uma taxa básica de juros tão baixa força investidores a buscar alternativas e motiva os empreendedores a se qualificar para receber capital de terceiros. Superamos 3 milhões de pessoas físicas na bolsa de valores, mudando um pouco a dinâmica das emissões de ações. Foram mais de R$100 bi em ofertas de ações no mercado de capitais brasileiro.

 

    "algumas coisas parecem que nunca mudarão"

 

Mas... entramos em 2021 com os mesmos políticos de 2020. Ainda não aprendemos a votar. e ainda não aprendemos a cobrar nossos políticos. O desastre no Amazonas é apenas um aperitivo de todas as frustrações que ainda passaremos até a próxima eleição presidencial. E a polarização política continua cultivando extremos e fanáticos a ponto de algumas pessoas se tornarem intoleráveis. Até a próxima eleição presidencial perderei alguns amigos (e você também).

 

2021 será melhor que 2020. Temos uma vacina para o COVID (uuu huuuu!). Conquistamos um melhor balanço na relação família-trabalho. Aprendemos a trabalhar, ensinar e estudar remotamente (embora o número de pessoas com acesso à educação remota de qualidade seja muito pequeno ainda). A transformação digital chegou, e o mercado brasileiro amadureceu muito neste ano. Temos muitos desafios ainda, mas 2021 será melhor que 2020.

 

E 2021 será pior que 2022. Será?

 

José Securato é CFO do digio, trabalha em investment banking, fusões & aquisições, valuation e capital raising desde 1998 e fundou a Saint Paul Advisors em 2013.

 

Conheça TODOS os cursos do Securato Jr.: aqui


Comentários

Sem Comentários