Investiment Banking & Pitchbook



Neste fim de semana acabou o Investment Banking Avançado 2018 com 6 apresentações que, conforme o script, propunham a fusão de dois grandes varejistas brasileiros. 

Foram apresentações incríveis onde cobrei trabalho em equipe, excelência técnica e assertividade (a apresentação fez o que se propunha? o grupo conseguiria uma segunda reunião com o cliente?). Quando eu estava no Deutsche Bank em Nova Iorque, tínhamos um programa parecido para treinamento de Associates que serviu de inspiração para este curso. Nota-se o quanto a turma evoluiu, amadureceu e está melhor preparada para atuar em Investment Banking.

Proporcionamos uma experiência que visa replicar o dia a dia em investment banking. Não é fácil, tem muita coisa para fazer (os famosos “diversos pratinhos girando”) e tem a tensão de ser uma reunião formal (comigo, personificando o acionista controlador de uma delas – um dia eu trarei ele na reunião). O trabalho em equipe é fundamental para não ficar para trás, mas não é suficiente para gerar o diferencial da apresentação, aquele detalhe que faz o seu grupo ser memorável.

Pitchbook é uma apresentação que propõe uma transação de investment banking: M&A ou Capital Raising. O nome pitchbook, ou “book do pitch”, empresta o conceito do baseball em que o pitcher é o lançador da bola – no nosso caso, no entanto, arremessamos uma idéia/ proposta de transação. O objetivo do pitchbook é testar oportunidades, ter feedback do cliente, gerar a reunião de follow-up para continuar trabalhando com o cliente e no limite, discutir uma proposta comercial de assessoria financeira.

Neste último dia do curso, cada grupo apresenta individualmente. São 30 minutos para apresentarem o pitchbook quando eu interfiro o mínimo possível. Depois, os membros se auto-avaliam e avaliam os colegas, tal qual é usual acontecer anualmente nos bancos nas famosas avaliações 360 graus. Avaliamos formato e conteúdo, seguindo um roteiro que eu já havia passado previamente. Conversamos um pouco sobre a experiência e a impressão deles sobre o resultado da reunião, como sempre fazemos internamente após a entrega de um pitchbook. Finalmente, eu uso 30 minutos para dar feedback sobre a reunião como um todo, sobre a contribuição individual de cada um, e comentar sobre todas as páginas da apresentação. (em Nova Iorque o feedback era bem restrito).

Esta foi a 5ª edição desde 2014, Já aplicamos este programa em um banco da Faria Lima e a experiência foi muito boa. Quanto maior o comprometimento das pessoas com a apresentação final, melhor o resultado e melhor o aprendizado. O Resultado neste ano foi incrível, de altíssimo nível. Me sinto bastante realizado em formar (ou lapidar) alguns dos grandes potenciais em investment banking.

O prof. José Securato é um dos nossos professores de Economia e Finanças. Para conhecer os cursos dele, principalmente os de Investment Banking, clique aqui.


Comentários

Sem Comentários