As 5 lições que aprendi com Rudolph Giuliani



“Olhe no espelho! 
Pergunte-se: qual seus defeitos?
NENHUM? Pergunte à sua esposa…” 

Esta paráfrase dá o tom da palestra do R. Giuliani que eu tive a honra de assistir.

 

Rudolph Giuliani é incrível. Ele foi o prefeito de NY que conseguiu reverter a “capital do crime” dos EUA, na NY que começamos hoje, a NY que minha filha nasceu. Ele fez uma palestra exclusiva para a delegação da GS&MD em NY que participou da maior feira de Varejo & Consumo do mundo. Eu estava lá representando o IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo.

 

Giuliani propõe 5 princípios para gerenciar crises:

 

1. Planejamento. A maior parte do seu sucesso na gerência de crises é o planejamento. Para gerenciar uma situação de crise, é preciso ter um plano, um plano para cada possível situação. Esta lição foi a base para toda a transformação de NY e se aplica para qualquer empresa, qualquer oportunidade.

 

2. Otimismo.  “Você tem que ser um otimista”! É fundamental oferecer esperança. Ninguém quer seguir um pessimista ou um derrotado.

 

3. Coragem. Não tenha medo de tentar novas iniciativas, novas soluções. Temos que ter a coragem de eventualmente estar errado, e aceitar que podemos falhar (todos os grandes lideres, vivos ou não, falharam em algum momento da sua vida). Liderança requer coragem

 

4. Prepare-se! A quantidade de horas de preparo é diretamente proporcional a probabilidade de sucesso e à eficácia de suas ações. Durante 9/11, NY não tinha plano para um ataque terrorista, mas outros planos e preparativas foram utilizadas para gerenciar a crise, como: plano de evacuação do cone-sul da ilha (plano para gerenciar terremoto/ maremoto), plano de transferência de pacientes dos hospitais que disponibilizou mais atendimento na região afetada (plano para gerenciar epidemias de vírus), e assim por diante

 

5. Trabalho em equipe. Reconheça que você não pode saber tudo e ser expert em tudo. Monte um bom time, confie no seu time, pergunte ao seu time. Faça planejamento, defina metas e dê feedback. Quando as coisas vão mal, esteja lá, apoie – o seu time precisa de você. (“é mais importante ir para um funeral, do que um casamento pois seus amigos precisam mais de você neste momento”)

 

Mas Giuliani é genial (em contraste com quão medíocre o nossos políticos são). Ele transformou as agências de benefícios em agências de empregos, reduzindo o desemprego para índices mínimos. Quando as pessoas se acostumam com o paternalismo, elas se tornam dependentes do sistema, e deixam de contribuir. Uma boa intenção se transforma em uma praga. No seu governo, Giuliani focou na geração de empregos, e quando isso não era possível, ele não distribuiu seguro desemprego, mas distribuiu empregos na prefeitura (horário parcial, é claro). Para fomentar a recolocação, os funcionários públicos eram bonificados proporcionalmente ao período que o contribuinte ficava empregado. Em suas palavras “we turned a welfare agency in a job agency”.

 

E para refletirmos: "As pessoas gastam dinheiro com mais eficiência que o governo. Aumentar impostos não é a solução, ao contrário.” R. Giuliani

 

Quanta semelhança com nossos políticos e governantes, não!?

 

José Securato é CFO do digio, trabalha em investment banking, fusões & aquisições, valuation e capital raising desde 1998 e fundou a Saint Paul Advisors em 2013.

 

Conheça TODOS os cursos do Securato Jr.: aqui


Comentários

Sem Comentários